sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Tempo para o dia 29/11 (Pinheiro)

Previsão para Sábado 29.11.2008

Dia / Noite
Chuva
Temperatura máxima: 9º
Temperatura mínima: 3º

Probabilidade de chuva: 80%
Humidade: 89%

Amanhecer: 07h39m
Anoitecer: 17h05m
89%

80%

Programa oficial para o dia 29 Novembro


08.00h - Corte do Pinheiro - opcional
16.30h - "Paraki" - vitela, farinheira e verde tinto (Mesão Frio)
19.00h - AG AAELG (Torre dos Almadas) - opcional
20.00h - Encontro no Marisqueira (Rua de Camões)
20.15h - Saída do Cortejo do Marisqueira
20.30h - Paragem no Bar Nicolino
20.45h - Paragem no El Rock (Praça de Santiago)
21.00h - Paragem em frente à estátua de D.Afonso Henriques
21.15h - Paragem em frente ao Pinheiro
21.30h - Chegada ao Florência (MadreDeus)

?.??h - (uma vez erguido o Pinheiro) - Ceia do Pinheiro (Casa Piedade, Couros) - novidade

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

3ª Moina - Tertúlia Nicolina (ex-convento das dominicas)

Foi no passado sábado,dia 22, que se realizou a 3ª Moina de 2008. Desta vez foi, a Tertúlia Nicolina que concedeu a "Moina" aos jovens estudantes, no âmbito das Festas Nicolinas de 2008.
Com uma participação bastante numerosa, com mais de 90 caixas e 4 bombos, e dezenas de pessoas a acompanhar o cortejo, a Moina percorreu as ruas da cidade, ao som do toque nicolino, com destino á Rua Dr. Bento Cardoso, onde decorreu a moina, no (ex Convento das Dominicas), na qual se situa a sede da Tertúlia Nicolina.




E ASSIM...

e também foi assim

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

E o Pregoeiro 2008 é......


O Pregão Académico 2008, recitado aos 5 de Dezembro de 2008, nas ruas e praças da cidade de Guimarães, será recitado pelo jovem Nicolino:
José Diogo Silva.

O "Zé" Diogo, é o Secretário da Comissão de Festas Nicolinas, tem 18 anos, estuda na "Xico d´Holanda", no 12º ano, no curso de Ciência e Tecnologias.

À semelhança do ano passado, este ano volta a ser um secretário....
Um bem haja aos secretários....

A A.C.F.N, felicita o "Zé" Diogo, pela sua eleição, e se nos é permitido, que defenda a tradição.

Parabéns, "Zé" Diogo.

Taaaa bebeeer.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

2ª Moina - Trovadores do Cano

Realizou-se novamente este sábado, a 2ªMoina das Festas Nicolinas 2008.
O tempo brindou a juventude, com uma excelente tarde de sol, e por sinal, convidativa, a dar uns toques nas caixas e bombos, esticar as peles, dar as ultimas afinações, pois o Pinheiro, está já aí....
Mais uma vez, a moina foi bastante participada, pelo jovens estudantes, a rondar as 40 caixas e 3/4 bombos.
A Fernandinha, este ano esmerou-se, e pôs uma rica mesa, onde não faltava nada...comes e bebes á descrição, em que, os jovens "moinaram", até caír pro lado, onde recarregaram baterias, para depois ir para o Toural.





segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Memórias d´um velho Nicolino

O Blog, da ACFN, tem um prazer de apresentar a nova rubrica, intitulada de"Memórias de um Velho Nicolino".
E para estrear esta nova rubrica, nada mais, nada menos, de que o nosso grande Rui Barreira, Sócio nº1 e fundador desta ilustre associação.


Nicolinas,

Pediram-me para escrever um texto sobre as Nicolinas, ao qual acedi de imediato, pois como sabem todos os que me conhecem, é tema de primeiríssima ordem no meu sistema de prioridades.

E falar de Nicolinas sem falar nos tempos idos de 89-90, anos em que fiz parte da Comissão de Festas Nicolinas, dando conta da minha experiência, era não contribuir para a difusão das festas e, em particular, para o trabalho realizado por estes 10 jovens de 16 e 17 anos que têm a seu cargo a organização das Festas Nicolinas, muitas vezes só apontados a dedo por algo que correu mal e sem nunca verem reconhecidos pelo imenso trabalho que têm.

Recordo-me perfeitamente do momento em que recebi o convite para integrar a Comissão de Festas Nicolinas em 1989. Regressava eu a casa, depois de uma manhã de aulas, por volta das 13.15, numa dia de Outubro, quando encontrei o Alexandre. O Alexandre havia pertencido à Comissão de Festas em 1988 e fez-me o desafio. O desafio de pertencer à Comissão de Festas, algo que sempre tinha sonhado, mas que, sinceramente, naquela altura, nunca pensei possível.

Nesse dia caiu-me nas mãos a possibilidade de realizar um sonho, o sonho de vestir aquele traje, de organizar as festas, o sonho de um miúdo. Depois do convite do Alexandre, recordo-me de me dirigir para casa, a imaginar as vezes que me dirigi aos membros das Comissões de Festas no átrio do Liceu a pedir-lhes aqueles “mágicos” autocolantes e a inveja que lhes tinha, sabendo que agora, afinal, sempre era possível eu ser um deles.

Chegado a casa, recordo-me de me sentar à mesa com a minha família: Pai, Mãe e Irmão. Transmiti ao meu Pai o convite e disse-lhe desde logo que queria entrar. Lá me deixou, sendo certo que não o fez de ânimo leve. No entanto, tenho quase a certeza que o brilho dos meus olhos não permitiu que me dissesse que não.

E assim foi. Encontrei-me com o Alexandre, disse-lhe que sim e que estava morto por começar.

Também o Belmiro integrou essa Comissão de Festas, colega de Liceu desde o7.º ano um amigo que me acompanhou não só no Liceu, como também na Universidade, até ambos concluirmos a licenciatura.

Posto isto tivemos a nossa primeira reunião. Conheci os restantes membros da Comissão e o Presidente, o Jó Folhadela, amigo de longa data do meu irmão e que eu perfeitamente conhecia. Disse-nos ao que íamos, o que tínhamos que fazer e quais os objectivos. Disse-nos que queria dignificar as Nicolinas e que tínhamos de ser todos unidos. Que deveríamos respeitar o traje que usávamos e que muitos olhos estariam sobre nós. Posto isto, mãos ao trabalho, ou seja, aos peditórios.

Acordei bem cedo, vesti o traje (não sem antes pedir ao meu Pai para me dar o nó na gravata, pois tal peça de vestuário era coisa nova para mim) e saí de casa. Dirigia-me eu para o “Matadouro”, onde hoje é o Hotel Íbis, para me encontrar com o Lopes. O Lopes era outro membro da Comissão que ainda não havia conhecido, mas que já tinha pertencido em 1988.

Encontrei-o no velho Matadouro e, como sempre me aconteceu nas Nicolinas, passados cinco minutos parecíamos amigos de longa data. Fomos para Riba D´Ave, onde fizemos peditório todo o dia, correndo aquela terra de lés a lés. Uma experiência única, fantástica. A forma como nos recebiam, como nos abordavam e como nos reconheciam. Este foi o meu primeiro dia na Comissão de Festas, um dia que jamais esquecerei.

Mas histórias há, que neste pequeno escrito não queria deixar de recordar. Histórias que se desconhecem, mas que devem ser conhecidas por todos os Nicolinos e população Vimaranense em geral e que podem contribuir para combater tanta “poluição” que se vai lançando sobre todas as comissões de festas e os jovens que a integram.

Lembras-te Afonso, quando andávamos a fazer peditório em Gondar e nos apareceu uma senhora de idade, a pedir desculpas por não nos poder dar o contributo que entregava religiosamente todos os anos, pois tinha o seu marido acamado, que não conseguia trabalhar e dizendo-nos, com lágrimas nos olhos, que nem sequer tinha dinheiro para lhe comprar os medicamentos. Lembras-te que logo nesse momento decidimos deixar-lhe todo o dinheiro que tínhamos arrecadado durante o peditório, para que a senhora pudesse comprar os medicamentos.

Lembras-te, Jó, quando no próprio dia do Pinheiro eu decidi que o Minerva teria de ir de uma forma decente, vestido com uma capa vermelha? Que fomos comprar o tecido ao “Oliveira & Silva” no Toural e que fomos pedir à Senhora que nos dava as luvas e o papillons, para que nos cosesse umas tiras daquele tecido vermelho (apenas umas às outras devido à escassez de tempo) para pôr por cima do Minerva . Lembras-te que ela nos disse que era impossível e nos indicou a casa de uma senhora na Praça de Santiago a quem fomos pedir isto às 19 horas da noite do Pinheiro. Lembras-te de que esta Senhora nos disse que ia tentar tudo e para passarmos novamente por volta das 8 horas da noite? E lembras-te de quando lá chegamos, e após a senhora nos mostrar uma capa vermelha fabulosamente concebida, com “atilhinhos” para prender ao pescoço e tudo e nós ficamos sem palavras? E lembras-te do que ela nos respondeu depois de perguntarmos quanto era? Lembras-te de ela dizer que ia sair muito caro e que depois apenas nos pediu um beijo a cada um de nós e nos desejou a maior sorte do mundo sorte. Lembras-te que em anos sucessivos fomos sempre deixar-lhe um pregão dourado em forma de agradecimento e reconhecimento?

E que dizer dos momentos antes da saída do Pinheiro. Nós, tão jovens, metidos na eira do lavrador da Veiga, onde fazíamos os carros e os cartazes individuais (que agora já não existem) durante todo o dia 29, com montanhas e montanhas de gente cá fora, que pretendiam seguir em cima dos carros e levar os cartazes contra-pagamento de uma garrafa de qualquer coisa? E lembram-se os meus companheiros e amigos de comissão de um deles que mal recebeu a garrafa, desatou logo a correr pelo meio dos campos, fugindo a sete pés, até desaparecer, porque caiu e de logo nos desmontarmos a rir quando verificamos que ele tinha lama até ao cabelo?

E a lembrança da chegada do Xico Jesualdo ao Cano, que quando chegou junto de nós e perguntou a que se deviam os foguetes e nós lhe dissemos que eram já os foguetes da saída do Pinheiro, pois estava tudo pronto ao contrário da confusão do ano anterior. Lembrais-vos, caros amigos e companheiros de Comissão, das lágrimas que o Xico Jesualdo brotou, dizendo-nos que éramos os “maiores”?

E lembrais-vos do que tínhamos que aturar bem atrás do Pinheiro, logo a seguir à Banda de Delães? Toda aquela gente aos saltos e nós a termos que os controlar de forma a defender os membros da Banda?

E a nossa ceia no final do Pinheiro, em Penselo, às 4.30 da manhã, onde havia tudo e mais alguma coisa para comermos e que nós quase que nem lhe tocamos, onde só queríamos por os pés ao alto, pois estávamos super exaustos, mas ao mesmo tempo contentes pelo dever cumprido após 45 dias de trabalho árduo de sol-a-sol (sim, nessa altura não íamos sequer a uma aula).

Muitas mais histórias haveria que contar. Eu sei que as Nicolinas não são só a Comissão de Festas, e que vão muito mais além. Mas eu, que por lá passei, não poderia nunca deixar de falar sobre Nicolinas sem referir esses momentos, até porque na Comissão de Festas aprendi muita coisa para a vida. Desde logo, o sentido de responsabilidade! Pois tínhamos a noção da dimensão, importancia, sensibílidade e difículdade das Festas e sabíamos que a organização e responsabilidade recaia sobre os ombros de tão poucos, tão jovens e, até então, tão imaturos.

Parte do que sou hoje, às Nicolinas e à Comissão o devo. Não me arrependo um segundo do que quer que seja e penso que não nos saímos mal.

E neste momento não poderia deixar de dedicar a minha vida Nicolina a uma pessoa. Alguém que não foi Nicolino, porque os Estudantes da Escola Industrial não faziam parte, mas que desde sempre me transmitiu a verdadeira magia das Nicolinas. Alguém que me autorizou a integrar a Comissão de Festas, que me levou em criança, todos os anos sem excepção, a ver o Pinheiro. Alguém que me punha à varanda (porque eu morava em frente ao Teatro Jordão) a ver os “velhos” iniciarem o cortejo. Alguém que aguentou ver o filho cansado durante tempos, dando-lhe sempre conselhos e estímulos para continuar.

Obrigado, meu querido Pai. A ti te dedico esta pequena memória de Nicolinas.


Rui Barreira

10.11.2008

domingo, 9 de novembro de 2008

1ª moina - Família Vaz Vieira e moina da Comissão

Realizou-se no sábado,dia 8, a 1ªMoina das Festas Nicolinas 2008.
Eram 14h30, quando a juventude começou a comparecer na praça da Mumadona, munidos de caixas e bombos. Depois dos últimos ajustes, nomeadamente, esticar as peles, e afinar o som, eis, que se ouve o sino da igreja, a bater as 15h. Após os foguetes, deu-se início á Moina, em direcção á família Vaz Vieira e posteriormente, em direcção á casa do Rui Xavier, onde a comissão concedeu, também a sua moina.






Subindo da rua d´Arcela, em direcção a 2ª moina



sábado, 8 de novembro de 2008

Última Reunião preparatória das festas 2008

Decorreu na passada sexta feira, dia 7, a Magna reunião da Acfn, no nosso tradicional pouso, restaurante "Marisqueira", cito, (onde nao ha marisco). heheheh
Como é habitual, durante a semana, circula uma lista de inscrições, na qual, se inscreveram 15, "marmanjos", mas como é tradição aparecem sempre mais, 5/10 camelos, incluindo minha pessoa nessa cáfila, pois também nao me inscrevi.
Posto isto, o Xico Canário, lá esticou o jantar, para toda a gente, depois de ter ameaçado que pra próxima íamos buscar pizzas....mas, la vieram os tradicionais Lombinhos, acompanhados do vinho da casa.
De resto a reunião decorreu, com normalidade, onde se abordou os principais temas da ordem de trabalhos da direcção,e onde reinou o espírito nicolino e a boa disposição.

Presentes:
Nuno Fernandes
André Malheiro
Filipe Guimarães
Miguel C. Lima
Joao Vicente
Carlos Maia
Filipe Couto
Carlos Guerra
Rui Silva
Rui Melo
Jorge Hëndel
André C. Lima
Nuno Pinto
Afonso Freitas
José Ricardo Gonçalves
Tiago Guimarães
Francisco C. Lima
Alberto Vaz
Rui Xavier
Diogo Castro
Pedro Marques
Ribeiro "Simões"
Domingos Freitas


segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Convocatória - Jantar ACFN

Conforme a deliberação do nosso patrono São Nicolau, é convocado o Jantar da notávelASSOCIAÇÃO DE COMISSÕES DE FESTAS NICOLINAS”. A Magna Reunião terá lugar no seu tradicional pouso, Restaurante “Marisqueira”, sito na Rua de Camões, nº35, da mui nobre cidade de Guimarães, para Sexta-feira, dia 7/11/2008, pelas 20.30h.

Nota: Até 4ª feira 5/Novembro: confirmar presença ou justificar ausência para o eGroup ou para o Carlos Marques (contacto: 91-6337716)

§ Fina1 - Informações da Direcçãolização da base de dados (alteração do método de cobrança de quotas e cartão de membro da ACFN)

§ Dia Nicolino

§ Jantar das Instituições

§ Concurso fotográfico sobre o Monumento ao Nicolino

§ Organização de um debate para discussão de um tema das Festas Nicolinas

§ Base de dados de todas as Comissões

2- Festas Nicolinas Património Cultural Imaterial da Humanidade

Informação e discussão acerca da participação da ACFN na reunião com a Comissão Especializada da Assembleia Municipal de Guimarães acerca do processo de candidatura das Festas Nicolinas a Património Cultural Imaterial da Humanidade

3- Discussão do calendário nicolino e os próximos eventos ACFN:

§ Pinheiro – 29/11, sábado (Restaurante Florêncio, 21.30h)

§ Posses - 4/11, 5ª feira (Restaurante Marisqueira, 20.00)

§ Gala Nicolinos d’Ouro – 14/12, 6ª feira (Restaurante Marisqueira, 20.30h

4- Outros Assuntos

Guimarães, 3 de Novembro de 2007

O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA-GERAL DA ASSOCIAÇÃO DE COMISSÕES DE FESTAS NICOLINAS

(ANDRÉ GUIMARÃES COELHO LIMA)

Nicolinas e o Vitória em colaboração




O Vitória Sport Clube, na página de abertura do seu site, promove uma homenagem às Festas Nicolinas, numa iniciativa que contou com o apoio da ACFN.
Iniciativa essa, que consistiu na colocação de um banner, para que depois, de clicarem nesse mesmo banner, dê acesso, á página oficial das Nicolinas.
www.nicolinas.pt
Assim como, no mês de Novembro, sempre que o Vitória, jogue no estádio D.Afonso Henriques, a Comissão de Festas, faz a guarda de honra á equipa, assim como no intervalo, faz uma demonstração do toque nicolino.
Mais uma vez, através da instituição mais representativa da cidade de Guimarães, a ACFN efectua um trabalho de promoção das Festas Nicolinas.

domingo, 2 de novembro de 2008










A Comissão de Festas Nicolinas 2008, fez ontem a sua primeira aparição formal á cidade, rumo ao cemitério da Atouguia, para homenagear os nicolinos falecidos.
Este é o primeiro dia de aparecimento público da Comissão de Festas! Depois de umas 6as feiras de "cosselo", eis que aparecem, para se mostrar à comunidade...!